Em qual segmento você atua?

Educação InfantilEnsino Fundamental 1Ensino Fundamental 2Ensino MédioCursinhoEnsino SuperiorNão trabalho com Educação

Mitos e verdades sobre a educação bilíngue no Brasil

Compartilhe >

18/06/2019 - 6 min - Por Amanda Viegas

A educação bilíngue no Brasil tem ganhado cada vez mais importância, sobretudo, devido às transformações advindas da tecnologia. Com isso, a sociedade está inserida em uma era digital e totalmente interligada, na qual a comunicação é uma característica fundamental para o funcionamento dessa dinâmica.

O aprendizado da língua inglesa não é mais considerado um diferencial. O que antes era requisito para viagens, hobbies e trabalho, passa a ser a chave para a influência e o estabelecimento de interações entre as pessoas.

Apesar da relevância do assunto, muitas dúvidas sobre a temática persistem. Preparamos este artigo com 6 mitos e 6 verdades a respeito da educação bilíngue. Confira!


Mitos e verdades sobre a educação bilíngue

Veja a seguir 6 mitos e 6 verdades relacionadas ao ensino da educação bilíngue no Brasil:

Mito 1: Ensino bilíngue é apenas para crianças pequenas

Quanto mais cedo a criança tem contato com um segundo idioma, mais fácil ela conquistará a fluência na escrita e na fala dele, se aproximando do sotaque nativo. Entretanto, educação bilíngue não tem uma restrição de idade, uma vez que é possível aprender uma nova língua mesmo depois de adulto.

Mito 2: Estudar dois idiomas ao mesmo tempo pode atrapalhar o aprendizado

Apesar da complexidade do processo de aprendizagem de um idioma, o procedimento é semelhante para o aprendizado da segunda língua. Sendo assim, no mesmo período de tempo em que uma criança monolíngue leva para adquirir um idioma, uma bilíngue se torna capaz de usar duas línguas com naturalidade e propriedade.

Dessa forma, estudar dois idiomas ao mesmo tempo não atrapalha o aprendizado, já que a criança não passa por processos separados em cada língua. Na verdade, o aluno realiza a construção do conhecimento e desenvolve habilidades utilizando todo seu repertório linguístico.

Mito 3: No Brasil, apenas as escolas particulares oferecem educação bilíngue

A educação bilíngue no Brasil, apesar de sua grande maioria ser ofertada em instituições privadas, está sim presente nas escolas públicas bilíngues no país. Entretanto, elas estão voltadas às minorias linguísticas: povos indígenas, surdos e moradores de fronteiras.

Mito 4: A educação bilíngue é difícil e precisa de pais com domínio nas duas línguas

O bilinguismo consiste apenas no uso alternado de duas línguas e é uma condição comum à maioria da população mundial. Vale ressaltar que ser bilíngue não necessariamente quer dizer possuir proficiência igual em dois idiomas, mas sim saber comunicar-se em ambos.

Para se tornar bilíngue não obrigatoriamente os pais precisam ter o domínio das duas línguas, uma vez que o aluno é capaz de aprender por meio de uma instituição de ensino, professor ou planejamento. Apesar do contato com a segunda língua em casa contribuir para a fluência da criança, existem outras maneiras da família estimular o aprendizado, por meio de aplicativos, músicas, vídeos, livros e jogos especializados, por exemplo.

Mito 5: É possível ser bilíngue apenas quem aprendeu duas línguas na infância

Apesar da facilidade em que as crianças naturalmente possuem em aprender e desenvolver linguagens, não há indicações que os adultos não consigam atingir o bilinguismo com eficácia. O cérebro infantil tem mais pré-disposição e plasticidade para o desenvolvimento de novas habilidades, mas isso não quer dizer que um adulto não consiga alcançar tal desempenho. Para isso, é preciso empenho, instrução e dedicação.

Mito 6: Crianças bilíngues apresentam atraso no desenvolvimento da fala

O atraso no desenvolvimento da fala pode estar relacionado a inúmeros fatores e não apenas ao aprendizado simultâneo de duas línguas. Algumas crianças que estão imersas no contato com dois idiomas podem demorar um pouco mais para iniciar a fala, mas, quando começam, já executam fluentemente. Isso acontece porque é natural que a criança passe por períodos de adaptação dos sistemas linguísticos. Por fim, isso não deve ser visto como um problema, mas sim como uma integração do cérebro aos dois idiomas.

Verdade 1: A escola bilíngue ajuda no conhecimento de novas culturas

O ensino bilíngue proporciona mais do que o aprendizado da própria língua, de modo que os alunos são imersos também nos aspectos culturais que envolvem o processo. Nesse sentido, vale destacar que o aprendizado de uma outra cultura não exclui a da brasileira, sendo apenas uma forma de agregar diferentes conhecimentos e saberes.

Verdade 2: Para a criança, aprender duas línguas ao mesmo tempo propicia uma experiência cognitiva muito rica.

Alguns estudos têm comprovado que a educação bilíngue favorece o desenvolvimento das habilidades motoras, emocionais e cognitivas, na medida em que a flexibilidade do cérebro é aumentada. Além disso, o bilinguismo é capaz de melhorar a concentração, memória, raciocínio e flexibilidade de pensamento.

Verdade 3: A educação bilíngue estimula o desenvolvimento social

A relação da educação bilíngue com o desenvolvimento social está ligada ao fato de que, por meio da imersão cultural, os alunos podem aprender diferentes visões, valores e costumes sociais. Com isso, geralmente eles se tornam mais comunicativos, criativos e flexíveis, otimizando seu desenvolvimento e habilidades sociais.

Verdade 4: É possível alfabetizar surdos em escolas bilíngues

A educação bilíngue para surdos é assegurada por lei desde 2002. Partindo do princípio de que os surdos devem ter a possibilidade de optar por uma educação por meio da Língua de Sinais Brasileira (LIBRAS), sendo o português a segunda língua.

Verdade 5: O aprendizado durante a infância evita o sotaque

Nas fases iniciais da vida, o aparelho fonador está em formação e com isso é capaz de reproduzir qualquer som. As crianças têm uma maior facilidade para distinguir e reproduzir fonemas, o que possibilita uma excelência na pronúncia e consequentemente a ausência do sotaque.

Verdade 6: Existe uma maior dificuldade em esquecer a segunda língua quando ela é aprendida na infância

Quando o aprendizado é realizado de forma natural e apropriada, o conhecimento da segunda língua pode até ficar adormecido, quando não estimulado frequentemente, mas não é esquecido.

Conclusão

Existem muitos mitos e verdades por trás da educação bilíngue, sobretudo em relação ao aprendizado do inglês durante a infância. Em suma, a aquisição de uma nova língua possui inúmeros benefícios e é mais bem adquirida quando o processo começa nos primeiros anos da infância. Dessa forma a criança é capaz de desenvolver simultaneamente os dois idiomas e adquirir habilidades e aspectos cognitivos originados do bilinguismo.

A educação bilíngue tem conquistado cada vez mais espaço devido a influência do inglês para a comunicação na sociedade contemporânea. Com isso, é importante que as escolas procurem se manter atualizadas e aptas a oferecer um ensino de inglês com qualidade para os alunos.  Quer saber mais sobre a importância da formação bilíngue para o aluno do século XXI? Baixe o e-book:

educacao-bilingue-no-brasil

Referências:

Mitos e Verdades sobre Educação Bilíngue no Brasil

Compartilhe >

LEIA TAMBÉM

Em qual segmento você atua?

Educação InfantilEnsino Fundamental 1Ensino Fundamental 2Ensino Médio
CursinhoEnsino SuperiorNão trabalho com Educação