Em qual segmento você atua?

Educação InfantilEnsino Fundamental 1Ensino Fundamental 2Ensino MédioCursinhoEnsino SuperiorNão trabalho com Educação

Como conduzir a comunidade escolar no cenário atual: Kit de sobrevivência para gestores

Compartilhe >

10/07/2020 - 5 min - Por Amanda Viegas

Devido à pandemia da COVID-19, toda a dinâmica mundial está sendo transformada, inclusive o contexto educacional. Sendo assim, a escola está tendo que se reinventar e buscar novas maneiras de viabilizar o processo de aprendizagem dos alunos, registrar as atividades e promover uma comunicação eficiente com os familiares e estudantes. 

Pensando na relevância dessa temática, a SOMOS Educação preparou um webinário visando compartilhar dicas e experiências para as escolas lidarem melhor com o cenário atual. Para isso, foram convidados Daniel Freitas, professor graduado em Licenciatura em Computação no Instituto Federal e coordenador Pedagógico na editora educacional Mind Makers, e Renan Dias, professor de história e coautor da disciplina Empreendedorismo Criativo na Mind Makers. 

Neste post, separamos os principais pontos dessa live. Confira a seguir! 

Comunicação eficiente e assertiva 

Para compreender de que forma a escola pode se comunicar efetivamente, uma alternativa é usar a analogia do “Three-way handshake” ou “aperto de mão em três etapas”, que é um termo da Ciência da Computação. A analogia divide-se então, em três etapas: enviar a informação, garantir o recebimento e receber essa confirmação. Na prática, isso quer dizer que a escola precisa se preocupar em enviar as mensagens certas para as pessoas certas no canal certo e verificar se essas pessoas receberam e entenderam o conteúdo da maneira correta. Ou seja, em uma comunicação eficiente, ambos interlocutores necessitam trocar de papel, hora emitindo informação, hora recebendo.  

O contexto atual propiciou que as instituições de ensino percebessem que talvez a comunicação que elas estavam realizando anteriormente não eram tão efetivas. Sendo que, em um cenário de distanciamento social, mais do que nunca, é imprescindível uma aproximação, mesmo que virtual, da escola com as famílias. Cabe então à instituição, buscar descobrir quais são as maneiras mais eficientes de promover esse contato. Essa comunicação, é uma alternativa para que os familiares compreendam a importância das práticas pedagógicas, mostrando para os pais e responsáveis como a atuação conjunta neste momento é fundamental para o desenvolvimento e aprendizado dos estudantes.  

A Escola e o ensino remoto 

Para dar continuidade ao período letivo, muitas escolas estão apostando na sala de aula virtual e para isso existem dois modelos de vídeo aula: síncrona e assíncrona. O primeiro se refere às interações simultâneas, ao vivo, já o segundo, às aulas gravadas, slides, exercícios, entre outros formatos. O ideal é que a escola busque mesclar os dois, retirando os melhores pontos positivos para otimizar o ensino remoto e atender a todos os estudantes.  Ambas apresentam vantagens e desvantagens. Confira a seguir alguns pontos relevantes: 

Aula síncrona: 

Vantagens: é um formato mais próximo da sala de aula presencial, permitindo uma aproximação maior entre os educadores e alunos; mais fácil para tirar dúvidas e corrigir exercícios. 

Desvantagens: a interação depende da conexão da internet; ao organizar um tempo muito longo de aulas desse formato é preciso ficar um bom tempo sentado na frente do computador, o que pode ser ruim tanto para os professores quanto para os alunos e para as famílias, que também podem precisar do computador;  

Aula assíncrona: 

Vantagens: maior liberdade para os alunos escolherem quando realizar as práticas ou a aula proposta, o que facilita a organização familiar; o estudante pode seguir seu próprio ritmo de aprendizagem ao pausar, adiantar ou voltar quando preciso no conteúdo; estimula os alunos a participarem, mandarem dúvidas e também acessar outras fontes e informações para aprender o conteúdo.  

Desvantagens: exige um alto grau de autonomia e responsabilidade por parte dos alunos para cumprirem o que for proposto e engajarem.  

Registo das atividades remotas 

Um ponto bastante levantado ultimamente é em relação a qual a melhor forma de verificar a aprendizagem no ensino remoto e manter um engajamento dos discentes. Durante as aulas síncronas, a escola pode utilizar o Google formulários para controlar a assiduidade dos alunos, como uma lista de presença. Já para o formato assíncrona, é possível fazer um formulário com uma videoaula gravada e algumas perguntas para verificar a compreensão dos estudantes acerca do assunto. Dessa forma, além de examinar se o aluno estava presente e seguindo o conteúdo, o educador ainda pode entender como foi o entendimento de cada um sobre o que foi lecionado.  

A escola e a sala de aula virtual

A escola é muito mais que um espaço físico, as escolas são professores e alunos. Tanto é que hoje as instituições de ensino são apenas prédios vazios, mas a escola continua viva dentro da casa de cada estudante. Visando dar continuidade às práticas pedagógicas durante o contexto atual, as instituições estão adotando medidas digitais para se aproximarem dos alunos e efetivarem o ensino remoto.

Vale ressaltar que o cenário tecnológico amplia ainda mais as possibilidades educacionais, diminuindo fronteiras do processo de aprendizagem. O conhecimento vale mais quando compartilhado e ainda bem que o ciberespaço facilita a conexão e interação entre toda a comunidade escolar.  

Se interessou pela temática? Que tal assistir ao webinário na íntegra? Basta acessá-lo gratuitamente

Compartilhe >

LEIA TAMBÉM

Em qual segmento você atua?

Educação InfantilEnsino Fundamental 1Ensino Fundamental 2Ensino Médio
CursinhoEnsino SuperiorNão trabalho com Educação